Consultas Não São Bichos de 7 Cabeças.

   Eu já reparei que toda vez que tento falar de consulta, apesar de tentar fazer parecer simples, sempre acabo fazendo ficar mais complicado, quando na verdade, tudo é muito simples...

   Reduzindo ao máximo possível podemos colocar assim... Se você tem conhecidos, quando quer saber alguma informação você pergunta:
   - Fulano, isso, isso e aquilo?
   - Sim, isso, isso e isso.

   Ex. Prático:
   - Fulano você mora aonde?
   - Eu moro em Ipanema, Ciclano.

   Agora na vida real, quando você lida com 400 pessoas, como no caso de um diretor de escola, ou chefe de algum departamento, por exemplo, e pensa no seguinte:
   - Quantos destes todos será que pertencem ao RJ?

   Numa reunião em que todos estejam presentes, você pede:
   - Todos que são naturais do Rio de Janeiro, ergam as mãos por favor, para que eu possa efetuar uma contagem. ou ainda...
   - Todos que são  naturais do Rio de Janeiro , ergam as mãos para que possa os ver melhor (com óculos vermelhos, rsrsrsrs, brincadeirinha).

   Como na vida real, é praticamente impossível reunir todas essas pessoas, é necessário que se faça um banco de dados cadastrando todos os que nos interessam, como alunos, como funcionários, como qualquer coisa que nos interesse. E pra isso utilizamos da tabela (já falado anteriormente sobre o conceito); Agora para tirarmos dados específicos de uma tabela envolvendo 4, 400, ou 400.000 dados, não se pode ir no dedinho, contando, 1, 2, 3, 4, ..., 1.502, 1.503, ..., 22.534, enfim acabei... Peraí, eram 22.354, ou 22.345?
   Pâtz!!!
   Vou ter que contar de novo... Saco!!!

   Então... pra evitar esses inconvenientes, nós criamos uma consulta, que nada mais é que perguntar algo pra tabela para ela nos responder, de acordo com o que queremos... Mais formalmente, nós fazemos uma Query (seria algo como uma pergunta) simples, para que ela nos informe os dados desejados, para que nós possamos extrair os dados dessa tabela convenientemente (de acordo com nossos interesses, tá F. (nome omitido por motivos óbvios, por falar nisso em caso de palavras que desconheça [ou desconheçam galera] www.google.com.br ajuda a lot of... {muito, a beça, etc})).
    Retomando...
   Nós não podemos simplesmente contar com a ajuda do "Classificar" do Access, uma vez que quando planejamos criar um DB (database, banco de dados, etc... c.d.a. [como dito anteriormente]), nunca pensamos egoísticamente, pq em geral DB's tem um motivo pra existir, além de armazenar dados, e consultar, mas também para serem constantemente atualizados, não somente por nós, mas por outros... E serem pesquisados não somente pelo criador, mas também por terceiros. Em geral um DB tem como idéia um controle para que várias pessoas possam utilizar, então não podemos nos focar em fazer o DB para ser visto no Access no modo de tabela, e para isso que existem os formulários e relatórios, para não deixar terceiros meterem a mão na nossa tabela, e talvez arruinar uma porção de coisas importantes, apesar de em aula não ter sido possível falar sobre, nós também podemos criar formulários (vamos falar disso mais a frente) com base em consultas.
   Em geral consultas são criadas com Queries (plural de Query) simples, específicas, como no nosso exemplo, quem é do RJ. Porém, na aula, vimos apenas as queries em que nós entramos com os dados para serem consultados. E admito, mea culpa, mea maxima culpa, nós tivemos certos problemas com consultas por telefones, simplesmente pq o professor de vcs sem querer esqueceu de mencionar, posto que quando criamos máscaras de entrada (pretendo falar disso também num post separado) devemos selecionar no final da criação a opção:


   "Sem os símbolos na máscara, desde modo:" - Na máscara de entrada ficaria assim: !\(99") "!9900\-0000;;_
    Ou seja, quando formos realizar as consultas, não precisaremos inserir os dados com os símbolos, como no caso de telefones, parênteses "()", espaços "         " , nem hífens "-". Somente inserimos os dados importantes NÚMEROS.
   Ainda falando sobre construções de consultas comuns, volto a afirmar, que em geral as consultas são criadas utilizando conceitos simples como por exemplo:
campo cidade, utilizamos apenas o critério Como"RJ", ou Como "Rio de Janeiro"
   Ou ainda no caso de telefones, todos os que tenham o DDD 21: (segue abaixo tabela simples exemplo)


campo telefone_1, utilizamos apenas o critério:  Como "21*" (que quer dizer, me retorne resultados que contenham 21 no começo, ou seja, todos os telefones cujo DDD seja 21) como abaixo:


   Clico no botão "Executar", para visualizar se tudo correu bem: (abaixo)

E o resultado será:


   Lembrando sempre que o Critério utilizado, foi no campo TELEFONE_1, ou seja, a consulta retornará apenas resultado cujo início seja 21, no campo TELEFONE_1, ignorando a presença dele nos outros campos, você insere outros campos na consulta, apenas para serem visualizados dentro do contexto do resultado da pesquisa criada. Ficou Claro?
   Se não, como eu acho que foi, a idéia é a seguinte, quando você faz uma consulta, seleciona todos os campos que possam ter interesse naquela consulta, como no caso de telefones de funcionários (como no exemplo das aulas), o código do funcionário interessa, o nome dele também, e seus telefones. Então para isso, selecionamos esses campos na consulta, para que eles sejam mostrados nos resultados, no mesmo exemplo dado acima, vou remover o campo TELEFONE_2 da consulta o resultado será:
Seleciono o campo que desejo remover da minha consulta: (abaixo)

 Pressiono minha tecla "Delete", em seguida clico em executar: (abaixo)

E resultado será:


   Espero que agora tenho ficado bem claro, tanto o conceito basico de consulta, como construir consultas simples.

   Enfim, as consultas tem como único objetivo armazenar uma pergunta a ser feita para a tabela a ser escolhida e responder apenas os campos que você seleciona na consulta... É bem simples...
   E o porque de utilizarmos, nas aulas, o critério

Como [texto qualquer] &"*"
   Porque dessa forma iremos estar dando a chance do usuário, o cara que está realizando a consulta, inserir dados, ao invés de utilizar uma consulta semi-pronta (com ou sem hífen? Malditas regras ortográficas novas), que seria por demais rígida, por isso criamos uma consulta versátil, uma consulta que pode ser reutilizada infinitas vezes, pois o usuário sempre pode inserir dados diferentes para personalizar sua consulta, não limitando a consulta a uma pergunta simples, com uma resposta automática, ainda que seja sempre atualizada conforme a tabela o é, ela fica uma consulta "dura" demais, da forma que o usuário entra com dados a serem pesquisados, economizamos n+1 consultas, pois teríamos que saber todos os dados cadastrados, e criar uma consulta para cada e ainda uma do tipo interativa, para atender a demanda, fora os erros de digitação e outras y variáveis.

   Mas fico por aqui na certeza que fiz de tudo para lhes esclarecer sobre o monstro que a consulta parece ser, quando na verdade é algo bem simples.

   Peço perdão pela prolixidade inerente ao meu ser, da qual não consigo me esquivar, mas acho que essa é a forma mais correta, para esclarecer a todos, tanto os que entendem fácil, quanto os que não entendem tanto. Como o personagem de Will Smith, fala no filme 7 vidas:
"Há 3 passos para que esses contratos sejam assinados:
    1. Falem tudo que tiverem de falar;
    2. Falem MESMO tudo que tiver de ser dito, não se acanhe nem esqueça de nada;
    3. Repitam absolutamente tudo que disseram;"
Beijos e Abraços para todos.

sexta-feira, 16 de abril de 2010 às 20:10 , 0 Comments | Links para esta postagem

Mais arquivos...

   Aí galera, lá no 4 shared, eu fiz upload de mais 2 livros... Na verdade é um só em dois idiomas, mas são bem interessantes pra quem tiver o Espanhol, ou Inglês em dia... É a Bíblia do Access 2007.
   Cada vez que um novo programa é lançado um expert no assunto lança uma bíblia falando sobre o software, que fala de todos os recursos e funcionalidade do novo software, em geral essas bíblias demoram um montão de tempo para serem disponibilizadas on-line e mais ainda para serem traduzidas, eu consegui uma versão em espanhol, e outra em inglês, então pra quem puder dar uma olhada, acredito ser um ótimo livro pra ter no PC, pra fazer pesquisas futuras...

Divirtam-se

quarta-feira, 14 de abril de 2010 às 07:53 , 0 Comments | Links para esta postagem

UMA COISA MUITO IMPORTANTE - DAQUI PRA FRENTE!

     Esqueçam, Winzip, Winrar, Fillzip, Brazip... Usem o 7-zip, ele é o melhor de todos, open-source, win32 e win64, 100% compatível , utiliza seu processador dual, ou quad core para comprimir e descomprimir, ou seja realizar todas as tarefas, é um ótimo FileManager, gerenciador de arquivos. Eu a partir de hoje utilizarei o formato .7z (link da Wikipedia falando sobre o formato, para os curiosos de plantão), relativo ao 7-zip, portanto recomendo baixarem pra participarem dos downloads de arquivos daqui pra frente.


Um beijo e um Abraço a todos...

segunda-feira, 12 de abril de 2010 às 09:54 , 2 Comments | Links para esta postagem

Arquivos interessantes para vocês

http://bit.ly/danielmc2
http://jrzabott.4shared.com

Nesses links acima (que levam para o mesmo lugar) pretendo uppar algumas coisas interessantes para vocês, como livros de referência, guias, tutoriais, e etc...

Pra hoje, temos um excelente cursinho em Flash de Access 2007, espero que gostem...

Segue abaixo um walkthrough (passo-a-passo, já falei disso em outra postagem) de como fazer downloads no 4 shared para quem não sabe... Após selecionar o arquivo desejado... vc faz o seguinte...

Para baixar no servidor 4shared é muito fácil basta ao carregar a página clique no botão download now


Fique atento a indicação de no virus detected, pois se o antivírus do servidor detectar qualquer anomalia, se não estiver certo não baixe o arquivo. Nessa tela é também apresentado o nome do arquivo o formato, tamanho, data do upload, data do último download do arquivo e comentários sobre o arquivo. Vale notar que se o arquivo compactado estiver protegido com senha também será informado.

Quando você clica em download now o server do 4shared inicia um contador que depende do tamanho do arquivo, para arquivo maiores mais segundos, arquivos menores menos tempo, espere essa contagem.




Quando a contagem terminar clique em "click here to download this file" :




Pronto é só escolher o local onde salvar. (Como vimos no módulo Internet e etc... mas de qualquer forma segue uma janelinha pra ajudar a lembrar... (Clique para ampliar).

às 09:46 , 0 Comments | Links para esta postagem

Pra que serve a droga do Access. Módulo Chato, professor chato... Aff ¬¬

Bem, vamos lá... Pra que serve o Access é ótimo... De acordo com a Wikipedia o Microsoft Office Access (nome completo do 'troço') é um Sistema de gerenciamento de banco de dados, criado pela Microsoft.

Então o que vem a ser o tal do Sistema de gerenciamento de Banco de dados? O SGBD nada mais é que um gerenciador de base de dados.
Ah sim... Claro...

O que é uma base de dados, então? Como diz a sábia Wikipedia...
Banco de dados (ou base de dados), é um conjunto de registros dispostos em estrutura regular que possibilita a reorganização dos mesmos e produção de informação. Um banco de dados normalmente agrupa registros utilizáveis para um mesmo fim.
 Tá e eu com isso?

Bem vamos pensar assim... (Sim vamos pensar, se entrou no blog é pra estudar, e pra aprender tem que queimar muita mufa... humpf)
Tudo com que você entra em contato, lê, ouve, vê, fala, aprende, esquece, faz, deixa de fazer, e etc, parte de um princípio. A esse princípio podemos chamar de informação. Pra você pode ser algo simples, mas para um simples observador, ou desconhecido é apenas informação (eventualmente fofoca também, mas são dados não confirmados. rs.). Se eu vejo 5 pessoas na rua...
1 - Senhora de idade, veste-se bem, caminha com certa dificuldade, aparenta estar com um leve sorriso.
2 - Um senhor, roupas baratas, caminha firme e rápido, sem expressão aparente, quase sério.
3 - Um garoto novo, vestido a vontade, bermudas, chinelas, e camisa larga, anda rápido, despreocupadamente olhando pro nada com seu MP3 player de 30 reais da casa e vídeo.
4 - Um senhor de terno, cara de sério, passos pesados, expressão pensativa.
5 - Um jovem rapaz com sobrepeso (rs), caminha com certa dificuldade, sempre sorrindo, ou olhando indiferentemente pra frente...
São cinco pessoas totalmente distintas. Em termos de informação podemos montar uma database, ou uma base de dados, ou ainda um banco de dados bem simples assim:

Código - Sexo -  Mobilidade - Emoção - Idade (em dezenas aproximidas)
1 - Feminino - dificil - feliz - 70
2 - Masculino - fácil - indiferente - 40
3 - Masculino - fácil - indiferente - 20
4 - Masculino - média - indiferente - 40
5 - Masculino - difícil - feliz - 20

E ficaria assim em uma tabela...:

Não é nada excepcional, porém, é um banco de dados simples...
Agora vamos imaginar que isso tenha alguma utilidade para alguém...
Como por exemplo pra você no seu trabalho...
Pressuponha que você seja um Auxiliar administrativo, e tenha de fazer um levantamento, a mando de seu chefe, dos funcionário ativos da empresa, os que estão trabalhando com você cotidianamente...

Ele deseja saber isso, pois além de ser novo e desinformado, não quer trabalho de conhecer a todos... e sobra para você fazer o trabalho pesado... Você poderia pensar logo em pegar uma caneta um papel e começar a escrever... Mas se a folha acabar, serão duas páginas já... E se a caneta falhar, se vc molhar aquilo... afff tantas possibilidades caóticas...
Então vc tem um lampejo pirulético de imaginação e pensa assim... E se eu usar o que aprendi (ou estou aprendendo) no Access pra montar uma base de dados dos meus colegas... Ia ser mais fácil, eu posso hospedar na rede, todo mundo pode até ver, posso proteger com senha, pra ninguém mexer aonde não deve, e posso ver de qualquer computador ligado na rede que possa acessar meu servidor (tipo o \\copacabana na microcamp...)
Então lá vou eu criar uma tabela... Que que pode ser importante?... Essa é a fase, que nas aulas nós pulamos... Levantamento de informações relevantes... Na aula nós seguimos um exemplo pré-pronto... Mas na vida real, primeiro precisamos bolar o que é relevante ou não, o que importa, ou não.
Então meu chefe deve querer saber o nome do cara...
 e... Data de Nascimento, o cargo, os telefones para contato, e-mail pra ele importunar com os comunicados chatos, e esporros impessoais, que mais??? Hum.... Alguns documentos talvez, se ele tem filhos, talvez uma foto com a câmera seja bem-vinda, sei lá, bairro, CEP, cidade de residência, vai que alguém more em Magé!? e acho que tá bom pra começar...
Em resumo ficamos assim:
  • Código do Funcionário (pra indexar o troço, pra não ter ninguém duas vezes, e pra achar ele rápidinho pelo número;
  • Nome do Funcionário;
  • Data de Nascimento;
  • Cargo;
  • Telefone Residencial;
  • Telefone Celular;
  • Telefone para Recados;
  • E-mail;
  • RG;
  • CPF;
  • Filhos;
  • Foto;
  • Bairro;
  • CEP;
  • Cidade;
  • Experiência Profissional; (Afinal qnd ele pensar em mandar alguem embora, vai querer saber quem ele pode colocar no lugar, ou remanejar, pra não acabar de vez com meu setor, que já anda decadente, já que eu, Aux Administrativo, estou fazendo o banco de dados, imagina se mais alguém vai embora. kkk)
Então só na brincadeira de imaginar quem trabalha com a gente, olha só quanta coisa podemos levantar por alto... Só de pensar rapidinho...

No Access ficaria assim a criação das idéias (os campos que seriam necessários):


Agora completando inserindo as informação, alimentando os dados, nossa folha de dados, ficaria mais ou menos assim:

Em resumo, com algumas informações esparsas, pode-se organizar essa informações, tabelar as coisas, melhor dizendo, dispor em ordem organizada e funcional os dados, onde, sabendo uma das informações, pode-se obter várias outras relacionadas, umas vez que os dados estão organizados em forma de tabela que para nós seres humanos, facilita e muito visualmente um monte de dados, que não estando em ordem de tabela, ficariam perdidos nos espaço e muito mais dificil de lidar e trabalhar com eles.

Então acho que por hoje, já consegui explicar a idéia de tabela, né? Comentem, postem dúvidas, e vambora, na próxima, vou tentar falar de algo mais próximo à aula, mas esse conceito de tabela é very very important, muito muito importante. Senão a gente nem abre o Access, pq tabela sem relações fazemos até no Word, mas o Access garante que tudo tenha relação somente com seu dono, com o cara do código, com a chave primária, ou seja, tudo pertence a ele, não se pode manipular de qualquer jeito, tudo de um funcionário, tem somente haver com ele e mais ninguem... E o access garante isso pra gente, é muito importante ter isso em mente, OK?

Um abraço para todos e sinceros desejos de que se interessem pelo assunto ao ponto de ao menos gostar de estudar esse "troço chato".
Até o Próximo Post....

Fuiz....

quinta-feira, 8 de abril de 2010 às 21:08 , 2 Comments | Links para esta postagem

1º Post

E lá vamos nós... Eu tentando ,no meio de um turbilhão de coisas na minha vida, ajudar vocês, meus queridos alunos, criando materiais decentes para ler em casa e estudar e aprender cada vez mais!!!

Uma vez que não consigo fazer isso descompromissadamente no trabalho, vou fazer um trato nunca dito com vocês... Na escola sigo o cronograma como sempre... Aqui, forneço (ou pelo menos pretendo) explicações detalhadas, passo-a-passo, ou walkthroughs que seria o nome correto e ainda tutoriais...

Aproveitem a parte de comentários para esclarecerem dúvidas e sugerirem novas postagens, NÃO ESQUEÇAM DE DEIXAR O E-MAIL PRA QUE EU RESPONDA, HEEEIIINNNN!?!?!?!??!!?!??

Um Abraço a todos, e boa sorte para todos nós, que esse blog dê certo, e que nós possamos aprender sempre um pouco mais, nesse maravilhoso e entendiante mundo da informática.

às 00:06 , 0 Comments | Links para esta postagem